Anedonia

Anedonia: a incapacidade de sentir prazer

Anedonia é a dificuldade ou incapacidade de uma pessoa em sentir prazer ou se motivar a realizar atividades que antes eram prazerosas. De acordo com a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), a doença atinge cerca de 70% dos pacientes com depressão. 

Os números da doença são altíssimos. No mundo, ela afeta 322 milhões de pessoas e, no Brasil, 11,5 milhões (ou 5,8% da população). Só na capital paulista, estima-se que 18% dos moradores já tiveram um episódio. Os dados são da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Neste post, conheceremos um pouco mais sobre o tema. Confira!

Como classificar anedonia?

Como mencionado no início, em geral, a anedonia está ligada a casos de depressão. A doença pode ser classificada em dois tipos — social ou física. No primeiro, o paciente tem desinteresse no contato com a sociedade ou em realizar atividades com outras pessoas. Já no segundo, a pessoa apresenta uma incapacidade de sentir prazer no toque, contato íntimo ou em comer, por exemplo.

Além de apresentar desinteresse em relação ao próximo, pacientes com a doença têm indiferença em relação a si mesmo. O indivíduo parece estar emocionalmente vazio ou “congelado”, sem sofrer alterações de humor, independentemente do que aconteça ao seu redor. A disfunção ainda provoca uma sensação de desconexão com o mundo e eleva o risco de suicídio.

Quais são as causas e tratamentos existentes?

Apesar da doença ser muito comum em pacientes com depressão, nem sempre uma pessoa deprimida apresentará os sintomas. Ela pode acometer usuários de drogas e álcool, sobretudo durante as crises de abstinência, e também quem sofre de esquizofrenia, neurastenia, Mal de Parkinson, câncer, estresse pós-traumático, distúrbios alimentares e transtornos de ansiedade. 

O uso de medicamentos, como antidepressivos e antipsicóticos usados para o tratamento da depressão, também podem ser uma causa. Por se tratar de um sintoma e não um transtorno, pode ser tratada e curada. Na maioria dos casos, o tratamento tem como foco a doença base, como a depressão ou outra psiquiátrica.

A psicoterapia é a principal aliada no tratamento. Com a ajuda de um profissional, o paciente poderá identificar as causas da sua depressão ou outras doenças psíquicas. Se necessário, o psicólogo poderá encaminhar o paciente a um psiquiatra, que poderá prescrever medicamentos, como antidepressivos ou remédios direcionados para o problema psiquiátrico localizado.

Ainda, é importante se preocupar com a rotina do paciente, incluindo boa alimentação, atividade física constante, sono regular e momentos de lazer. Técnicas de relaxamento e respiração, acupuntura e massagens também são alternativas recomendadas, pois ajudam a acalmar a mente, diminuindo os pensamentos negativos. Além disso, dão mais disposição e proporcionam a melhora da saúde como um todo.

O acompanhamento médico deve ser feito regularmente, de forma a identificar possíveis efeitos colaterais causados pelos medicamentos e de forma a ajustar a dose, para que se obtenham melhores resultados em relação à anedonia.


Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como
psiquiatra em São Paulo!

Comentários

Posted by Dra. Aline Rangel