O que é o Transtorno Obsessivo-Compulsivo?

O transtorno obsessivo-compulsivo (TOC) é um distúrbio psiquiátrico de ansiedade, que tem como característica a presença de crises recorrentes de pensamentos excessivos, considerados obsessões, e comportamentos repetitivos, considerados como compulsões.

A  maior parte dos casos é diagnosticada em adultos, apesar de que o transtorno obsessivo-compulsivo pode acometer crianças a partir de 3 ou 4 anos.

Na infância, o distúrbio é mais frequente em meninos. Já final da adolescência, o número de casos é igual nos dois sexos.

Causas

A causa do problema ainda não é totalmente conhecida. Pesquisas mostram que há a possibilidade de se originar por três fatores: biologia, genética e meio ambiente.

Entre as possibilidades, acredita-se que algumas alterações que acontecem no corpo e no cérebro e a predisposição genética com possíveis distúrbios nos genes, favorecem o aparecimento do transtorno.

Outro fator como possível causa é o meio ambiente, como as infecções, situações estressantes e o estilo de vida do indivíduo.

Tipos

Existem dois tipos de TOC:

  •    Transtorno obsessivo-compulsivo subclínico, em que as obsessões e rituais se repetem com frequência, mas não atrapalham a vida do paciente.
  •     Transtorno obsessivo-compulsivo propriamente dito, no qual as obsessões persistem até o exercício da compulsão, que alivia em partes a ansiedade.

Sintomas

Os principais sinais e sintomas consistem basicamente nas duas partes que dão nome à doença: obsessão e compulsão. Porém, é comum encontrar pessoas que desenvolvam apenas um dos tipos.

  •     Obsessão: consiste em uma série de imagens, pensamentos e ideias que vêm à cabeça da pessoa insistente e repetidamente, sem que ela possa controlar. Geralmente, a obsessão vem seguida da compulsão – uma tentativa de se livrar da própria ansiedade por meio de rituais e comportamentos repetidos e irracionais. Os casos obsessivos mais comuns na doença são obsessão por limpeza, geralmente originada por medo irracional de contaminação ou sujeira. Há casos também de fixação por organização, que segue uma determinada ordem e simetria.
  •     Compulsão: Comportamentos repetitivo em que o paciente se sente obrigado a executar para controlar, prevenir ou reduzir a ansiedade causada pelas obsessões ou, ainda, para impedir que algo trágico aconteça. O cumprimento dos rituais, entretanto, não traz prazer para a pessoa, sendo capaz de reduzir a ansiedade apenas momentaneamente.

Tratamento para TOC

Pode ser feito de duas formas: medicamentoso e não medicamentoso. O primeiro utiliza antidepressivos inibidores da recaptação de serotonina.

Já o segundo é feito com terapia cognitivo-comportamental, uma abordagem não medicamentosa com comprovada eficácia sobre a doença. O princípio básico é expor a pessoa à situação que gera ansiedade, começando pelos sintomas mais leves. Os resultados costumam ser melhores quando se associam os dois tipos de abordagem terapêutica.

O tratamento para o TOC pode demorar meses ou anos para começar a surtir efeito, por isso deve ser mantido por bastante tempo, às vezes por toda a vida do paciente.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como psiquiatra em São Paulo

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp