5 transtornos sexuais mais comuns e como tratá-los

Os transtornos sexuais podem afetar homens e mulheres de várias idades. Apesar do maior acesso a informações e tratamentos, até mesmo as pessoas mais jovens estão sujeitas a disfunções no sexo.

Transtornos sexuais são problemas multifatoriais que podem ser causados por aspectos biológicos, clínicos, psicológicos e sociais. O estilo de vida também pode influenciar na saúde e satisfação no sexo.

Tais disfunções envolvem dificuldades no campo da sexualidade, podendo se manifestar em uma ou mais das seguintes fases da resposta sexual: desejo, excitação, platô, orgasmo e resolução.

Há de se considerar que são vários os tipos de transtorno sexual. Alguns são mais comuns e conhecidos do que outros. Leia o artigo e descubra um pouco mais sobre cada um deles.

Ejaculação precoce

A ejaculação precoce é um problema comum. Estima-se que 30% dos brasileiros ejaculam antes do esperado. Em muitos casos, a ejaculação  acontece antes mesmo da penetração, o que gera frustração no homem e no parceiro(a).

Se a dificuldade de controlar a ejaculação acontece poucas vezes, não é motivo para se preocupar. Porém, se os episódios se repetem, é importante procurar auxílio médico com o urologista e o psiquiatra. O tratamento pode envolver a psicoterapia e o uso de medicamentos.

Compulsão sexual

A compulsão sexual é pode ser explicada como um transtorno do controle de impulsos até quadros semelhantes às adições (compulsão ou dependência química, por exemplo), no qual a pessoa tem atos e pensamentos obsessivos envolvendo sexo. Ela pode ser caracterizada pela masturbação excessiva, múltiplos parceiros ocasionais, vontade de fazer sexo não importando com quem, onde e como, exposição a situações sexuais perigosas, etc.

A tendência é que os comportamentos e fantasias se intensifiquem com o tempo e tragam prejuízos para várias áreas da vida, incluindo as aspirações pessoais, profissionais e relacionamentos interpessoais.

Disfunção erétil

A disfunção erétil, popularmente chamada de impotência sexual, é uma dificuldade periódica ou persistente de conseguir ter ou manter a ereção, até o final da relação. Tal problema pode ser causado por fatores emocionais, como por exemplo, ansiedade, preocupação com o desempenho, medo de fracassar, entre outros, ou ter etiologia orgânica.

O tratamento para a disfunção erétil pode ser psicoterápico e/ou farmacológico. 

Transtorno de desejo sexual hipoativo

O transtorno de desejo sexual hipoativo acontece quando o indivíduo tem bloqueios e dificuldades nos níveis de fantasia e imaginação sexual. Nesse caso, há uma falta de libido e perda de interesse por sexo.

Em outras palavras, essa disfunção é marcada pela diminuição do apetite sexual. A boa notícia é que existe tratamento, sendo a psicoterapia a alternativa mais indicada para reverter o quadro.

Vaginismo

O vaginismo é um transtorno sexual marcado por contrações involuntárias e espasmódicas dos músculos da parede vaginal durante a penetração do pênis. Essa disfunção torna o ato sexual doloroso e, em muitos casos, impossibilita sua conclusão.

Não há cirurgia para o vaginismo. O tratamento combina o acompanhamento psicoterápico com o acompanhamento ginecológico e fisioterapêutico. Exercícios pélvicos de fortalecimento da musculatura podem ser muito úteis na recuperação da fisiologia e anatomia da vagina.

Outros transtornos

Menos comuns, mas igualmente passíveis de tratamento são os transtornos orgásmicos, parafilias, exibicionismo, fetichismo, frotteurismo, sadismo, masoquismo, dispareunia e pedofilia.

Quer saber mais sobre transtornos sexuais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como psiquiatra em São Paulo!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp