O que é Transtorno do Desejo Sexual Hipoativo?

A sexualidade é considerada como um aspecto central da vida humana e é estimulada por fantasias, desejos, sonhos, comportamentos, valores e relações, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). Dessa forma, a libido, ou desejo sexual, é diretamente afetada pelas relações afetivas e interpessoais que temos no nosso dia a dia. E a falta dela pode ser sintoma do transtorno do desejo sexual hipoativo.

Dados, publicados no livro o Estudo da Vida Sexual do Brasileiro, apontam que esses problemas independem da idade da mulher, mas variam de acordo com a faixa etária. Falta de desejo é queixa de 5,8% das jovens entre 18 e 25 anos e de 19,9% de quem já passou dos 60. Entre os homens, essa porcentagem diminui bastante: apenas 2,4% dos jovens e 5% dos idosos reclamam de baixa libido.

Quando esse desejo é nulo ou deficiente, a pessoa pode sofrer do que chamamos de transtorno do desejo sexual hipoativo (TDSH). O transtorno é caracterizado pela deficiência (ou mesmo a inexistência) frequente do desejo sexual ou da fantasia sexual para a prática do sexo, durante um período maior que seis meses.  Ao contrário de distúrbios como disfunção erétil e ejaculação precoce, o TDSH pode afetar tanto homens quanto mulheres.

Algumas pessoas sempre tiveram esse desinteresse sexual, outras perdem o desejo repentinamente. Muitas vezes, os sintomas permanecem durante meses, como na gestação ou primeiro ano de vida de um filho, ou anos e têm consequências graves para os relacionamentos íntimos, para as relações de casais e para a autoestima de quem enfrenta a situação.

Causas e sintomas do Transtorno do Desejo Sexual Hipoativo

As causas do TDSH podem ser físicas ou emocionais. Entre as causas físicas estão as alterações hormonais, uso de antidepressivos ou ansiolíticos, falta de desejo após abuso sexual, doenças mentais, presença de alguma doença sexualmente transmissível, tumores e cirurgia.

Entre os fatores psicológicos, podemos citar ansiedade, depressão, transtornos de apego e da personalidade, perdas no relacionamento e incompetência ou disfunção sexual do parceiro, falta de privacidade, educação muito rígida, fatores religiosos e até mesmo questões morais.

Os sintomas podem variar de cada paciente, mas, normalmente, o indivíduo com transtorno de desejo sexual hipoativo apresenta ausência de pensamentos e fantasias sexuais; fuga de momentos que poderiam culminar numa relação; desinteresse pelo contato íntimo, que pode surgir após períodos de vida sexual saudável; falta de ereção e dificuldade para manter a ereção durante a relação; vagina sem lubrificação, permanecendo seca mesmo durante a relação; durante o contato íntimo a mulher pode não ter nenhuma alteração da cor na vulva e vagina.

Tratamento para Transtorno do Desejo Sexual Hipoativo

O tratamento para o transtorno irá depender das causas que levaram o paciente a desenvolver a falta de desejo sexual. Na maioria das vezes, o acompanhamento de um psiquiatra pode ajudar nas questões emocionais.

Nos casos de problemas físicos, como a disfunção erétil, por exemplo, o paciente pode fazer uso de medicamentos, associado à terapia e acompanhamento de um psiquiatra.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como psiquiatra em São Paulo!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp